25 setembro, 2010

Missa, Liturgia e Eucaristia para crianças


Leiam esta bonita e simples explicação sobre o que é a liturgia!


Liturgia, A Festa da Vida


Rodrigo é um menino curioso. Vive fazendo perguntas sobre o que vê ou escuta. Certo dia, ao chegar na casa de sua avó, perguntou:

_ Vó, o que é liturgia?

_ Liturgia é uma festa - respondeu dona Alice.

_ Ah... Então a festa de aniversário da Mariana foi uma liturgia?

_ O aniversário da Mariana foi uma festa, mas não uma liturgia.

Em um aniversário existem muitas coisas que existem numa festa de liturgia: pessoas, alegria... Mas não existe o mais importante: a presença de Deus como centro da festa.

As festas litúrgicas são momentos fortes na vida da Igreja. Assim, como nós temos momentos fortes em nossa vida: nosso nascimento, aniversários, formaturas, casamento... - também a Igreja tem momentos fortes.

A festa litúrgica mais conhecida é a Eucaristia. Mas há também os momentos litúrgicos do batismo, da Crisma, do matrimônio e outros.

As pessoas se reúnem para celebrar a vida em Deus e por isso rezam, cantam, louvam e agradecem.

_ Quer dizer que Deus fica na Igreja esperando o povo para a liturgia?

_ Não... Deus está presente na vida de todas as pessoas - afirmou a vó Alice, - mas é na liturgia que O encontramos de forma especial.

Há momentos durante o ano muito importantes na liturgia: o Natal, a Quaresma, a Páscoa, Pentecostes, Corpus Christi e outros.

_ Vovó... - disse Rodrigo, como quem havia chegado a uma bela conclusão, - quer dizer que a liturgia é a festa da vida?!

_ Muito bem, meu netinho! Agora vejo que você entendeu muito bem!

Vamos trabalhar um pouquinho




Leia o texto acima com atenção e responda as perguntas:

1- Na liturgia qual a pessoa central da festa?

2- Qual a festa litúrgica mais conhecida?

3- Cite alguns momentos litúrgicos.

4- Cite alguns momentos importantes, durante o ano, na liturgia.



As Cores Litúrgicas


São empregadas nos ornamentos dos "ministros ordenados", nas celebrações litúrgicas; são também usadas em panos de ornamentação. Variam segundo tempos e lugares.

Atualmente em nosso rito romano se empregam as seguintes cores:

Branca - É usada nos tempos de Páscoa e Natal, em geral nas festas do Senhor, de Nossa Senhora e dos Santos ou Santas não mártires.

Verde - Durante o Tempo Comum. (Neste tempo, revivemos tudo o que Jesus disse e fez para a nossa salvação).

Roxa - É usada nos domingos e dias durante as semanas da Quaresma e do Advento. É usada, também, nas missas de "corpo presente" ou na "encomendação de falecidos”.

Vermelha - Usado na Sexta-feira santa, no dia de Pentecostes e nas festas ou memórias de mártires.

Rosa - Usada no 3º domingo do Advento e no 4º domingo da Quaresma.

OBS: Nas celebrações e missas, normalmente, é usada a Túnica e a Estola.

A Casula é usada em ocasiões especial.


O Sacramento da Eucaristia


Em cada missa que participamos com bastante emoção e piedade, nós relembramos os últimos dias da vida de Jesus Cristo, até a sua ressurreição, e revivemos todo o misterioso sacrifício do Deus que se fez homem e aceitou morrer por amor à humanidade.

Em meio as celebração da Missa tão especial para nós cristãos, celebramos um dos acontecimentos mais valiosos da História de nossa Salvação: a instituição do Sacramento da Eucaristia.

Foi na Quinta-Feira Santa que Jesus no deu de presente, a Eucaristia e os padres também. Isto quer dizer que foi neste dia que Jesus deu aos apóstolos o poder de consagrar o pão e o vinho, tornando-o presente na comunhão que nós recebemos quando participamos da missa.

Aliás, podemos dizer que esta foi a primeira missa!

Sabendo de tudo que ia acontecer, Jesus tinha uma grande preocupação: fazer seus apóstolos e discípulos sentirem que Ele estaria sempre presente em suas vidas, dando-lhes força e coragem para enfrentar a difícil missão de pregar e viver o Evangelho pelo mundo a fora. E foi assim que Cristo se fez alimento para nossa alma!

Como todos sabem, é impossível manter a saúde do corpo se a pessoa não se alimenta bem. O mesmo acontece com a alma: se nós nos descuidarmos, se não a alimentarmos freqüentemente, ela se enfraquece e adoece. Pode ser a doença do orgulho, da vaidade, da preguiça, do ressentimento, do rancor, do comodismo... Há muitos sentimentos ruins que podem tomar conta de nossa alma e destruí-la, como o vírus e bactérias fazem com o corpo. Por isso, precisamos mantê-la sempre forte e resistente.

A Eucaristia é o principal alimento de nossa alma. Afinal, é o próprio Corpo de Cristo que nós recebemos quando comungamos! É claro que a hóstia não tem gosto de carne, nem o vinho tem gosto de sangue - nem é isso que nós queremos! Mas, nós acreditamos que, ao receber este Sacramento, entramos em comunhão com Jesus e com todos aqueles que, vivos ou já mortos, fazem parte do Povo de Deus. Por isso nós dizemos que, na hora de receber a Hóstia consagrada, nós vamos comungar!



A Festa de Corpus Christi


A instituição da Eucaristia é um acontecimento maravilhoso que, no entanto, fica um pouco "apagado" em meio às celebrações da Semana Santa, bem às vésperas da celebração do sofrimento e morte de Jesus, na Sexta-feira da Paixão. Então, para dar a esse acontecimento todo o destaque que ele merece, a Igreja estabeleceu uma nova ocasião para sua celebração: é a festa de Corpus Christi, ou festa do Corpo de Cristo.

Há uma tradição antiga em muitas cidades brasileiras de enfeitar as casas ou as ruas com flores, serragem tingida e outros elementos, formando um tapete por onde o padre caminha carregando a Hóstia Consagrada dentro de um objeto chamado ostensório. O povo segue em procissão, junto com o padre, rezando e cantando hinos de louvor a Jesus, presente na Eucaristia.

É muito legal participar da decoração das ruas e das casas para esta celebração! Porém, é mais legal ainda participar desta procissão com bastante fé e amor. Melhor ainda: é muito bacana participarmos da missa todo domingo, rezando e - para os que já fizeram a primeira comunhão - recebendo Jesus Cristo em nós através da Eucaristia.

Por fim, vale lembrar que quem recebe o Corpo de Cristo está fortalecendo sua alma para ser capaz de viver tudo aquilo que Ele nos ensinou, a começar pelo amor a Deus e ao próximo.

Quem tem essa força de Deus sabe que precisa lutar para que o mundo se torne um lugar bom para todos viverem, inclusive para os mais humildes, para os sem-terra, sem-teto, sem-trabalho, sem-saúde, sem-educação etc. Só rezar, cantar ou ir à missa não vale - é preciso também fazer o bem! Senão, para que tanta força e energia?



Curiosidade: O que significa "Amém"?


O que significa a palavra AMÉM? O que significa para você a palavra AMÉM?

Vamos saber desta palavra de significados tão bonitos que pode até ser cantada.


Amém, às vezes, quer dizer "assim seja", como, por exemplo, no fim de uma oração de súplica.

Mas o que significará AMÉM no fim do sinal da cruz ou no fim do credo?

AMÉM não precisa ser traduzido; é uma palavra hebraica de origem, mas que passou para todas as línguas.

Nossos antepassados começavam assim os atos oficiais: "Em nome do Padre, do Filho, e do Espírito Santo. Amém".

"AMÉM" em hebraico, quer dizer: sólido, durável, certo. Como aclamação, AMÉM significa: Sim! Bravos! Apoiado! É mesmo! Hurra!.

AMÉM exprime fé, certeza, entusiasmo.

Pelo AMÉM, nós subscrevemos as palavras do sacerdote. Aprovamos os seus pedidos. Apoiamos as suas afirmações e iniciativas.

O Amém pode ser murmurado ou cochichado. Pode ser, também, cantado com toda a voz.

AMÉM é a palavra que une os fiéis ao sacerdócio.

AMÉM é a palavra que une os fiéis entre si.

AMÉM não é difícil de cantar: uma só nota, ou duas. Cantar AMÉM é para o fiel o mínimo e o essencial de sua participação na missa.

No céu, disse Santo Agostinho, nós cantaremos AMÉM e ALELUIA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...